São Paulo, Brazil
(JORNALISMO INDEPENDENTE) Contato: diego_graciano@hotmail.com

31 de julho de 2013

Deus é atleticano

Cuca rezando para SAO VICTOR.
A quarta Taça Libertadores consecutiva para o Brasil, não foi conquistada por um time poderoso da região Sudeste. No comando, longe de contar com um treinador de elite. Na realidade, Atlético Mineiro terá de agradecer para São Victor ou Nossa Senhora do Sufoco. Contra o Bayern de Guardiola, em Marrocos, o Galo precisara jogar mais bola e depender menos das ajoelhadas para o céu. Nesta participação dramática com final feliz, Atlético e Ronaldinho (acolhido pelo clube em seu pior momento) ganharam pela primeira vez o titulo mais importante da América, de virada e nos pênaltis. No momento em que São Paulo tomou um “chocolate” com belo futebol de quatro jogadores de seleção (Ronaldinho, Tardelli, Bernard e Jo) vislumbrou-se uma equipe difícil a ser batida. Mas, da esperança, foi quase para o abismo nas ultimas três rodadas. Atlético precisou do pé salvador do herói Victor (pênalti que pegou contra Tijuana) e de alguns outros milagres em campo: Contra Newell's desperdiçou dois pênaltis seguidos. Contra Olimpia, um zagueiro rival furou no lance do gol do Jo, e um atacante paraguaio escorregou ao errar um gol incrível. Alias, foram duas voltas por cima com gols agônicos nas partidas decisivas. As orações de Cuca e seus jogadores, e a Fe dos torcedores com o grito "Eu acredito!" foram parte da estratégia espiritual, curiosamente na chegada do Papa Francisco ao Brasil, que ate ganhou uma camisa do clube. Definitivamente um Galo competente, e especialmente, abençoado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário