São Paulo, Brazil
(JORNALISMO INDEPENDENTE) Contato: diego_graciano@hotmail.com

20 de janeiro de 2014

No todo lo que brilla es ORO

Emoção e muita polémica na gala FIFA.
O eleito melhor do mundo pela FIFA fez algumas ótimas atuações e 69 gols em 2013. Uma bela marca, mas nada espetacular frente às conquistas do francês Franck Ribéry, indiscutido merecedor do prêmio, que saiu em terceiro. CR7 não faturou títulos no ano. Perdeu alguns contra Messi (eleito segundo) e comparando resultados de seleções, o argentino se deu melhor que o português. Em ato pouco habitual, a FIFA estendeu o prazo de votação, medida adotada justo após CR7 brilhar no jogo de repescagem, enquanto seu carrasco estava lesionado. "É hora de dar consolo a Cristiano" deram a entender os cartolas com essa decisão. Foi um bom momento para reparar a autoestima de um craque de caráter especial, Vice por quatro anos consecutivos. Acostumado a rejeitar as cerimônias da Bola de Oro FIFA por mal perdedor, CR7 tinha declarado que iria desistir novamente da sua participação em 2013. Porém, subitamente, ele mudou de ideia e postura. Passou de robô a humano, surpreendeu com lágrimas, mostrou filho, namorada e família. Foi uma gala de reparação (Pelé recebeu o mesmo troféu honorifico que Maradona em 1995) e bastante polémica também com o destaque do Neymar como 5to melhor, será? Então, em que posição ficam os craques de carreira brilhante que vem mostrando resultados faz tempo na elite do futebol? No meu ver os prêmios da "Melhor Jogadora" e do "Melhor Gol" foram os mais justos. Um paragrafo aparte merece Lionel Messi. Ele deu um voto em Neymar (a mídia brasileira e espanhola travam campanha para enfrenta-los) e fez questão de parabenizar a seu maior adversário futebolístico e comercial. Caráter de um jogador de outro planeta, hoje diferente de todos, nos gramados e na vestimenta, um Caballero Rojo, ao igual que o personagem de Titanes en el Ring: amável, cavalheiro, autentico e leal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário