São Paulo, Brazil
(JORNALISMO INDEPENDENTE) Contato: diego_graciano@hotmail.com

2 de julho de 2014

Messi Futebol Clube

Sem Messi, Argentina é um abismo.
O filme que já vimos. Argentina depende exclusivamente de uma genialidade de seu capitão. Contra a Suíça, novamente uma seleção morna, que precisou de um milagre (trave amiga) e mais um lance do mestre Lionel (sempre decisivo) para vencer uma partida sofrida e dramática. O goleiro Romero e o lateral Rojo ao fim calaram as críticas. A partir do segundo tempo a seleção argentina deu uma melhorada. Apareceram Mascherano e Di María. Higuaín continua sendo uma sombra em campo. Pela qualidade de jogadores que tem, Argentina continua devendo. A partir de agora é pedreira, e o tempo de jogar futebol é contra Bélgica. Caso não reverter a qualidade pobre do jogo, Sabella precisará de outra mão do Papa Francisco ou de vários Messis.

30 de junho de 2014

Argélia gigante

Argélia fez história no Beira Rio (Reuters)
Em um belíssimo jogo, a modesta Argélia encarou a poderosa Alemanha de igual para igual, e mais uma vez os goleiros foram protagonistas: Neuer desarmou quatro perigosos contra-ataques argelinos, enquanto Rais M’Bolhi foi considerado melhor em campo, ao igual que Ochoa do México, eliminado pela Holanda. O Tricampeão mundial empatou hoje sem gols contra uma seleção que participa pela primeira vez na fase eliminatória de uma Copa, e que jogou heroicamente. Alemanha desperdiçou alguns lances de gol e só conseguiu vencer na prorrogação. Sofreu muito. Assim como Brasil, Holanda e França. Será suor e lágrimas, até o fim da competição.

29 de junho de 2014

Robben, no contaron con tu astucia

Arjen Robben, decisivo.  Foto EFE 
México, de boa atuação no Mundial, eliminava à poderosa Holanda faltando uns oito minutos para o fim. Recuado, sofreu com a experiência de dos adversários decisivos: Primeiro foi o reconhecido Sneijder, depois o grande Robben, melhor jogador da Copa até hoje, protagonista de um pênalti duvidoso no finalzinho, mas vítima de outro que foi claro, não convalidado, no primeiro tempo. Holanda consegue vencer ao sensacional goleiro Ochoa e a uma seleção que caiu de pé. Percebeu-se que enquanto os mexicanos jogavam bola, os holandeses sofreram com o sufocante calor de Fortaleza. Holanda, três vezes vice-campeão mundial, avança e sonha.